Andrea Krugmann de Oliveira

FamilienHebamme

Prestações obstétricas

Para uma maior compreensão do conceito de obstetra, na Alemanha, sinto a necessidade de uma nota explicativa.

O sistema de saúde alemão prevê uma assistencia durante a gravidez, o parto e o pós-parto efetuados pelas obstetras, também denominadas enfermeiras-obstetra (Hebammen). Muitos estrangeiros não sabem que na Alemanha o parto fisiológico pode ser efetuado exclusivamente em presença de uma obstetra. O médico não pode efetuar o parto fisiológico sem a sua presença, fato este que indica a importância dada à esta figura profissional da saude. Nota-se que está em questão o parto fisiológico, natural. O parto cesáreo ou o parto vaginal operativo (como por exemplo a extração por ventosa ou forceps) é efetuada por um medico enquanto se tratar de patologia de parto.

No Brasil, a figura profissional da obstetra (popularmente chamada parteira) não se deve confundir com o medico especialista em obstetrícia. Nem mesmo as funções e a responsabilidade são idênticas às da obstetra alemã, enquanto a obstetra na Alemanha tem autonomia suficiente para abrir um consultório, efetuar plenamente a assistência durante a gravidez, assistir a um parto sem a presença de um medico e efetuar a assistência pós parto, o que não ocorre em muitos países. No período pós-parto o médico é consultado em caso de doença (como por exemplo problemas agudos do seio na amamentação) e em consultas preventivas e de controle depois do parto previstos pelas atuais recomendações ginecológicas ou pediátricas.

Voltando à assistência efetuada pelas obstetras na Alemanha, no período da gravidez ela pode efetuar o controle pré-natal (Vorsorge) segundo as recomendações atuais que incluem:

  • a aferição da tensão arterial,
  • os exames de sangue e urina,
  • a verificação da posição do feto e
  • o controle dos seus batimentos cardíacos.

Com exceção das ultrassonografias que devem ser efetuadas pelo ginecologista, a obstetra pode seguir toda a gravidez. Em caso de necessidade a obstetra tem o conhecimento necessário para avaliar o desvio da fisiologia e enviar para consulta ginecológica. A obstetra normalmente efetua as consultas a domicilio.

Além destes controles ela pode efetuar consultas (Hilfe bei Beschwerden) que incluem:

  • o aconselhamento pessoal sobre a nutrição,
  • a vida conjugal e a sexualidade,
  • os preparativos práticos e
  • a orientação sobre os auxílios sociais factíveis, com uma disposição de tempo muito maior que durante uma consulta ao médico
  • LLLT (Low level Laser Therapy),
  • K-Taping,
  • estado vaginal.

Ela efetua cursos de preparação ao parto, que por questões idiomáticas podem até ser individuais, o que requer uma receita do médico ginecologista, ou cursos de ginástica com exercícios de respiração e relaxamento e alívio em caso de dores gestacionais. Normalmente estes cursos são oferecidos em consultórios de obstetras, casa maternidade e hospitais.

Outra grande diferença é a escolha do local do parto, que pode ocorrer em casa, numa casa maternidade (Geburtshaus) ou no hospital, com ou sem uma obstetra de confiança escolhida durante a gravidez. O parto em casa, na casa maternidade e no hospital com uma obstetra de confiança são sujeitas ao pagamento de uma fatura extra, que na maioria dos casos não é coberta pelo seguro. Fatura esta que cobre o plantão 24 horas da obstetra para assistir ao parto. O valor desta fatura é estabelecido por cada obstetra e não segue nenhuma tabela regulamentada.

No período pós-parto todas as mulheres tem direito à assistência domiciliar (Wochenbett oder Nachsorge) de uma obstetra. Nos primeiros dez dias de vida da criança a assistência é efetuada diariamente, ou segundo as necessidades da mulher ou de avaliação da obstetra. Do 11° dia até a 12a semana de vida da criança podem ser efetuadas até 16 visitas domiciliares, e da 8a semana ao 9° mês até mais oito vezes. Sob indicação médica é possível aumentar o número padrão das visitas.

Atenção: a obstetra deve ser escolhida por iniciativa própria durante a gravidez. Elas devem ser contactadas durante os primeiros meses de gravidez, pois a procura é muito grande e muitas mulheres que se decidem tarde acabam ficando sem a assistência pós-parto. As obstetras não tem nenhuma obrigação de aceitar uma paciente pois trabalham como freelance, o que significa que fazem autonomamente o próprio plano de trabalho. Para contratar uma obstetra é necessário contactá-la perguntando a disponibilidade na data presumida do parto e marcar uma primeira consulta (Vorgespräch). Os seguros preveem tantas consultas (por um máximo de 90 minutos) quanto forem necessárias para encontrar a obstetra “certa”. Uma obstetra deve combinar com o nosso jeito de viver e pensar pois do contrario a convivência será difícil ou até inútil. Do mesmo jeito que a paciente escolhe uma obstetra, a obstetra tem o direito de escolher as suas pacientes, é uma relação reciproca de empatia.

Você pode encontrar a lista das obstetras nos seguintes sites: Berliner Hebammenliste, Hebammensuche oder Kidsgo. O Zentraler Hebammenruf e.V. Berlin oferece um servico de mediação, a não ser confundido com um serviço de emergência! Além disto existe a possibilidade de publicar a própria procura no grupo facebook Hebammenvermittlung Berlin. Em todos os inquéritos não esquecam de indicar o próprio endereço e a data prevista do parto!

Outros dois grupos facebook de brasileiras com encontros e troca de idéias durante a gestacão ou depois do parto são: Around a red table e Maes em Berlim.